Congresso Nacional derruba veto e mudança deve gerar R$ 6 bilhões aos municípios 

01/06/2017 7:25 PM0 comentários
Congresso Nacional derruba veto e mudança deve gerar R$ 6 bilhões aos municípios 
Em sessão do Congresso Nacional, realizada nesta terça-feira (30), senadores e deputados federais rejeitaram o veto do presidente Michel Temer ao Projeto de Lei Complementar (PLP) 366/13. A mudança transfere a cobrança do Imposto Sobre Qualquer Natureza (ISS) para os municípios de domicílio dos clientes de cartões de créditos e débito, leasing e de planos de saúde.

Até agora, os recursos ficavam no município do estabelecimento do prestador do serviço, ou seja, concentrava a verba em apenas algumas cidades do país. A redistribuição do ISS para todos os municípios deve gerar uma arrecadação de R$ 6 bilhões as prefeituras.

De acordo com o deputado federal José Reinaldo Tavares (PSB), a derrubada do veto significa corrigir uma injustiça brutal já que o recurso, na verdade, sempre pertenceu aos municípios.

“A partir da decisão do Congresso todos os municípios brasileiros, dependendo de seu consumo e uso do cartão de crédito, ficarão com o ISS correspondente. Essa é uma decisão muito feliz, democrática e que leva um pouco de recurso e alento para as cidades”, disse.

Defendida pelo presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem), Cleomar Tema, durante a 20ª Marcha dos Prefeitos à Brasília, ele explica que a redistribuição é mais uma vitória da Bancada Maranhense e, em especial, daqueles deputados federais que tiveram uma atuação determinante nesse processo.

“A alteração trará como consequência positiva uma substancial ajuda financeira aos nossos municípios, cujas receitas estão cada vez menores frente às dificuldades crescentes no âmbito municipal. Transmito aqui aos nossos deputados os mais sinceros agradecimentos de todos os colegas prefeitos do Maranhão”, disse o Dr. Tema.

VIOLÊNCIA: Jovem é assassinado a facadas por dívida de R$ 5

25/05/2017 5:21 PM0 comentários
VIOLÊNCIA: Jovem é assassinado a facadas por dívida de R$ 5

Na madrugada de domingo para segunda um jovem identificado apenas como “Sebo”, de 21 anos, foi assassinado a facadas no bairro Santa Terezinha, no município de Cocal, na região Norte do Piauí. João Rodrigues Veras de Normandia, o “Rodrigo”, de 19 anos, e sua companheira Ana Maria de Araújo, de 26 anos, foram presos e confessaram o homicídio.

O crime ocorreu por volta de 1h da madrugada quando a vítima foi surpreendida pelos dois acusados. No local, segundo testemunhas, eles tiveram uma intensa luta corporal. Atingido a facadas, “Sebo” ainda tentou se salvar dentro da casa de taipa, onde caiu e foi novamente golpeado por um dos acusados.

"Sebo" era usuário de drogas
“Sebo” era usuário de drogas

A Pericia Criminal esteve no local e confirmou que duas perfurações mataram o jovem. “Uma [perfuração] na altura do tórax abaixo da região da subclávica esquerda, e outra na região superclávica. Duas pegaram o pulmão e essa na região subclávica houve uma incisão com torsão do instrumento, abriu um buraco bem grande, que atingiu os vasos do coração e por isso ele perdeu muito sangue”, afirmou o perito Péricles Avelino.

De acordo com a delegada Daniela Dinali, o casal acusado de praticar o homicídio se apresentou espontaneamente na Delegacia de Polícia Civil.

“Está tudo sendo investigado, embora os primeiros levantamentos indiquem que ele tenha sido o autor e que ela teve participação. Os fatos só ocorreram por causa da participação dela. Esse rapaz, o “Sebo”, ele já era conhecido da polícia, com passagens por furto e era usuário de drogas”, afirmou.

Acusados de praticar o crime
Acusados de praticar o crime

O acusado e a namorada confessaram o crime que, segundo eles, teve como motivação uma dívida de R$5 (cinco reais) referente a um par de brincos que ela vendeu para a vítima.

“A gente estava junto em um barzinho, aí ela [Ana Maria] cobrou um pá de brincos dele. Ele já estava meio alterado e os dois começaram a ‘se pegar’ lá no chão, e aí depois eu fui tirar satisfação com ele. Depois eu fui na casa dele, aí ele se armou. Ele veio para cima de mim e eu acabei matando ele”, confessou João Rodrigues.

Ana Maria afirmou que o crime ocorreu por conta de uma dívida de R$ 5. “Foi por causa de um brinco que ele estava me devendo. Nós estávamos bebendo e aí eu cobrei ele. Eu perguntei por meu dinheiro, ele, alterado, veio para cima de mim e aí nós brigamos. Ele saiu para fora e pegou um facão”, detalhou.

Maria Assunção de Faria, tia da vítima, conta que pediu várias vezes para o sobrinho deixar o submundo das drogas. “Eu pedi para ele largar essas drogas. Eu pedia para ele ir para a Igreja, mas ele não queria quis ir”, disse.

Flagrantes da corrupção: as imagens que provam a entrega de propina a indicados de Temer e Aécio

18/05/2017 5:13 PM0 comentários
Flagrantes da corrupção: as imagens que provam a entrega de propina a indicados de Temer e Aécio

A delação da JBS, a mais dura em três anos de Lava-Jato, merece este título em grande parte devido às cenas a seguir. Nelas, o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), destacado pelo presidente Michel Temer para tratar com Joesley Batista dos interesses de seu grupo empresarial, é flagrado pegando R$ 500 mil em propina — a primeira parcela de um montante prometido de R$ 480 milhões. As cenas abaixo mostram esta entrega, ocorrida em 28 de abril deste ano.

A entrega de dinheiro para o indicado por Temer

Do Il Barista, os dois seguem para o restaurante Pecorino. É uma estratégia de despiste de Loures

Meia hora depois, os dois se encontram no estacionamento do mesmo shopping

Loures não pega o dinheiro no estacionamento e pede para que eles sigam para a pizzaria Camelo, nos Jardins. Ele entra na pizzaria sem nenhuma mala

As cenas também são devastadoras para o presidente do PSDB, o senador mineiro Aécio Neves. A Polícia Federal filmou o primo de Aécio, Frederico Pacheco de Medeiros, pegando, a mando de Aécio, R$ 1,5 milhão em propina — três quartos dos R$ 2 milhões que Aécio pediu, sem saber que era gravado, para Joesley. As cenas abaixo mostram a primeira entrega, ocorrida em 12 de abril deste ano.

A primeira entrega

de dinheiro ao primo

de

Já o presidente do PSDB indicou o primo Frederico Pacheco de Medeiros para receber o dinheiro. Fred, como é conhecido, foi diretor da Cemig, nomeado por Aécio, e um dos coordenadores de sua campanha a presidente em 2014. Tocava a área de logística. Quem levou o dinheiro a Fred foi o diretor de Relações Institucionais da JBS, Ricardo Saud, um dos sete delatores. Foram quatro entregas de R$ 500 mil cada uma. A PF filmou três delas. As cenas abaixo mostram a primeira entrega, ocorrida em 19 de abril deste ano.

As filmagens da PF mostram que, após receber o dinheiro, Fred repassou, ainda em São Paulo, as malas para Mendherson Souza Lima, secretário parlamentar do senador Zeze Perrella (PMDB-MG). Mendherson levou de carro a propina para Belo Horizonte. Fez três viagens — sempre seguido pela PF. As investigações revelaram que o dinheiro não era para advogado algum. O assessor negociou para que os recursos fossem parar na Tapera Participações Empreendimentos Agropecuários, de Gustavo Perrella, filho de Zeze Perrella. As cenas abaixo mostram a primeira entrega, ocorrida em 12 de abril deste ano.

Um dos grandes diferenciais da delação dos donos da JBS foi exatamente as “ações controladas” feitas pela Procuradoria-Geral da República (PGR) e pela Polícia Federal. Neste mecanismo de investigação, o flagrante do crime é calculado de maneira que seja produzida uma determinada prova. Nessa investigação, a PF acompanhou, com câmeras e escutas, a entrega de dinheiro para intermediários de Temer e de Aécio.

ESQUEMA NO CADE

O primeiro contato entre Rocha Loures e Joesley foi em Brasília. O dono da JBS lhe contou o que precisava do Cade.

Desde o ano passado, o órgão está para decidir uma disputa entre a Petrobras e o grupo sobre o preço do gás fornecido pela estatal à termelétrica EPE. Localizada em Cuiabá, a usina foi comprada pelo grupo em 2015. Explicou o problema da EPE: a Petrobras compra o gás natural da Bolívia e o revende para a empresa por preços extorsivos. Disse que sua empresa perde “1 milhão por dia” com essa política de preços. E pediu: que a Petrobras revenda o gás pelo preço de compra ou que deixe a EPE negociar diretamente com os bolivianos.

Com uma sem-cerimônia impressionante, o indicado de Temer ligou para o presidente em exercício do Cade, Gilvandro Araújo. E pediu que se resolvesse a questão da termelétrica no órgão. Não há evidências de que Araújo tenha atendido ao pedido. Pelo serviço, Joesley ofereceu uma propina de 5%. Rocha Loures deu o seu ok.: “Tudo bem, tudo bem”. Para continuar as negociações, foi marcado um novo encontro.

Desta vez, entre Rocha Loures e Ricardo Saud, diretor da JBS e também delator. No Café Santo Grão, em São Paulo, trataram de negócios. Foi combinado o pagamento de R$ 500 mil semanais por 20 anos, tempo em que vai vigorar o contrato da EPE.

Ou seja, está se falando de R$ 480 milhões ao longo de duas décadas, se fosse cumprido o acordo. Loures disse que levaria a proposta de pagamento a alguém acima dele. Saud faz duas menções ao “presidente”.

Pelo contexto, os dois se referem a Michel Temer. A entrega do dinheiro foi filmada pela PF. Mas desta vez quem esteve com o homem de confiança de Temer foi Ricardo Saud, diretor da JBS e um dos sete delatores. Esse segundo encontro teve uma logística inusitada.

Certamente, revela o traquejo (e a vontade de despistar) de Rocha Loures neste tipo de serviço. Assim, inicialmente Saud foi ao Shopping Vila Olímpia, em São Paulo.

Em seguida, Rocha Loures o levou para um café, depois para um restaurante e, finalmente, para a pizzaria Camelo, na Rua Pamplona, no Jardim Paulista. Foi neste endereço, próximo à casa dos pais de Rocha Loures, onde ele estava hospedado, que o deputado recebeu a primeira remessa de R$ 500 mil.

Apesar do acerto de repasses semanais de R$ 500 mil, até o momento só foi feita a primeira entrega de dinheiro. E, claro, a partir da homologação da delação, nada mais será pago.

Rocha Loures, o indicado por Temer, é um conhecido homem de confiança do presidente. Foi chefe de Relações Institucionais da Vice-Presidência sob Temer. Após o impeachment, virou assessor especial da Presidência e, em março, voltou à Câmara, ocupando a vaga do ministro da Justiça, Osmar Serraglio.

https://oglobo.globo.com

MAR DE LAMAS: Dono da JBS gravou Temer dando aval para comprar silêncio de Cunha, diz jornal

17/05/2017 8:35 PM0 comentários
MAR DE LAMAS: Dono da JBS gravou Temer dando aval para comprar silêncio de Cunha, diz jornal

s donos da JBS disseram em delação à Procuradoria-Geral da República (PGR) que gravaram o presidente Michel Temer dando aval para comprar o silêncio do deputado cassado e ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ), depois que ele foi preso na operação Lava Jato. A informação é do colunista do jornal “O Globo” Lauro Jardim.

Segundo o jornal, o empresário Joesley Batista entregou uma gravação feita em março deste ano em que Temer indica o deputado Rodrigo Rocha Lourdes (PMDB-PR) para resolver assuntos da J&F, uma holding que controla a JBS. Posteriormente, Rocha Lourdes foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil, enviados por Joesley.

 
Dono da JBS grava Temer dando aval para compra de silêncio de Cunha, diz O Globo

Em outra gravação, também de março, o empresário diz a Temer que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada para que permanecessem calados na prisão. Diante dessa informação, Temer diz, na gravação: “tem que manter isso, viu?”

Na delação de Joesley, o senador Aécio Neves (MG), presidente do PSDB, é gravado pedindo ao empresário R$ 2 milhões. A entrega do dinheiro a um primo de Aécio foi filmada pela Polícia Federal (PF). A PF rastreou o caminho do dinheiro e descobriu que foi depositado numa empresa do senador Zeze Perrella (PSDB-MG).

Nem Temer nem Aécio se manifestaram ainda sobre a declaração.

Segundo o jornal, em duas ocasiões em março deste ano Joesley conversou com Temer e com Aécio levando um gravador escondido.

O colunista conta que os irmãos Joesley e Wesley Batista estiveram na quarta-feira passada no Supremo Tribunal Federal (STF) no gabinete do ministro relator da Lava Jato, Edson Fachin – responsável por homologar a delação dos empresários. Diante dele, os empresários teriam confirmado que tudo o que contaram à PGR em abril foi de livre e espontânea vontade.

Joesley contou ainda que seu contato no PT era Guido Mantega, ex-ministro da Fazenda de Lula e Dilma Rousseff. Segundo “O Globo”, o empresário contou que era com Mantega que o dinheiro da propina era negociado para ser distribuído aos petistas e aliados, e também era o ex-ministro que operava os interesses da JBS no BNDES.

Cunha

Joesley disse na delação que pagou R$ 5 milhões para Eduardo Cunha após sua prisão na Lava Jato. O valor, segundo o jornal, seria referente a um saldo de propina que o deputado tinha com o empresário.

Joesley Batista disse ainda que devia R$ 20 milhões por uma tramitação de lei sobre a desoneração tributária do setor de frango.

Investigação

Segundo o jornal, pela primeira vez a PF fez “ações controladas” para obter provas. Os diálogos e as entregas de dinheiro foram filmadas e as cédulas tinham os númjeros de série controlados. As bolsas onde foram entregues as quantias tinham chips de rastreamento.

Durante todo o mês de abril, foram entregues quase R$ 3 milhões em propina rastreada.

O jornal informou que as conversas para a delação dos irmãos donos da JBS começaram no final de março. Os depoimentos foram coletados do início de abril até a primeira semana de maio. O negociador da delação foi o diretor jurídico da JBS, Francisco Assis da Silva, que depois também virou delator.

g1.com

Turistas maranhenses morrem em acidente na Argentina

Turistas maranhenses morrem em acidente na Argentina

Turistas maranhenses morreram em um acidente entre um caminhão e uma van de turismo registrado nesta terça-feira (16), entre as cidades de Polvaredas e Uspallata, na Argentina.

As vítimas, identificadas como Rosália Bordalo e Paulo Trajano, estavam na van que fazia turismo na região próxima a Mendonza.

De acordo com o site argentino Losandes, o acidente aconteceu por volta das 11h30, horário local de Buenos Aires, em uma curva chamada de ‘Las Cruces Verdes’.

A família do casal ainda está em busca de informações para a liberação do corpo das vítimas pelas autoridades argentinas. Ainda não há informações quando será feito o traslado do corpo das vítimas de volta para o Maranhão.

Por meio de nota, o Consulado do Brasil em Mendonza informou que acompanha o caso e presta apoio necessário ás famílias e aos feridos do acidente. E por respeito à privacidade dos envolvidos, não vai dar mais detalhes sobre o caso.

Outros feridos

Além dos maranhenses, outras cinco pessoas morreram e duas ficaram feridas. Os brasileiros identificados como José das Chagas, Marai Trajaner e Socorro das Chagas também morreram no acidente. O motorista da van, Marcelo Moreno também faleceu.

Juan Sergio Molina, o motorista do caminhão e o guia de turismo, Juan Pablo Martín, ficaram feridos e estão internados em um hospital da região.

BREU BRANCO – PA: PREFEITO É ASSASSINADO NA MANHÃ DESTA TERÇA FEIRA ENQUANTO PEDALAVA COM AMIGOS.

16/05/2017 9:22 AM0 comentários
BREU BRANCO – PA: PREFEITO É ASSASSINADO NA MANHÃ DESTA TERÇA FEIRA ENQUANTO PEDALAVA COM AMIGOS.

Na manhã desta terça-feira 16/05, o prefeito do município de Breu Branco, Diego do Alemão, 34 anos, estava pedalando juntamente com um grupo de amigos, quando por volta de 07:00, um homem se aproximou e efetuou pelo menos três disparos de arma de fogo, sendo que dois atingiram a região do tórax e outro na região da cabeça.

O prefeito foi socorrido e encaminhado para UPA 24 horas, mais não resistiu e veio a óbito.

EM PRIMEIRA MÃO: CONFIRA PARTE DO DEPOIMENTO DE LULA AO JUIZ SERGIO MORO

10/05/2017 9:07 PM0 comentários
EM PRIMEIRA MÃO: CONFIRA PARTE DO DEPOIMENTO DE LULA AO JUIZ SERGIO MORO

Ex-presidente negou ser dono de imóvel no Guarujá. Ministério Público diz que o imóvel foi destinado a Lula pela OAS, como propina dissimulada.

CASO URUÇUI: Família nega que jovem degolado tenha envolvimento no tráfico

04/05/2017 10:24 AM0 comentários
CASO URUÇUI:  Família nega que jovem degolado tenha envolvimento no tráfico

Por volta de 00h30 de quarta-feira (03/05),um crime bárbaro chocou os moradores da cidade de Uruçuí, como também todo o Piauí. Uma adolescente de 16 anos grávida de cinco meses foi estuprada e o seu namorado foi degolado por três menores na ponte que faz divisa entre os municípios de Uruçuí e Benedito Leite, no Maranhão.

Após o crime, a polícia conseguiu realizar a apreensão dos três menores envolvidos no caso que confessaram com frieza como cometeram o ato.

“‘Nois vinha vindo’ na ponte e quando chegamos o cara vinha vindo com a namorada […] nós abordamos ele e levamos ele lá pra baixo, o ***** e o ***** levaram ela para mais longe e eu fiquei com o namorado dela, aí depois que os caras estupraram ela eles voltaram. O ***** veio de lá e pegou a faca. O cara estava devendo ele por drogas, ele deu 100 reais pro cara e ele não voltou com a droga, aí ele pegou a faca e cortou o cara […] cortou o pescoço ai depois a gente jogou ele no rio, pegamos pelas pernas e pelo braço”, detalha ele.

O tio do jovem Flaviano da Silva Marinho, de 19 anos, que foi degolado e teve o corpo jogado no Rio Parnaíba, afirmou que o sobrinho não tinha envolvimento com o crime, argumento esse utilizado por um dos menores que declarou que Flaviano estava devendo drogas para um dos adolescentes.

“Até agora a gente só sabe que mataram ele e não sabemos nem o porque. A gente sabe que ele não tinha envolvimento nenhum com tráfico, nem com crime. Só queremos a verdade, o real motivo”, disse.

O corpo de Flaviano foi encontrado por volta das 09h30 de ontem através da ajuda de pescadores que acionaram a polícia. De acordo com informações do delegado do caso, Bruno Ursulino, um dos menores apreendidos no caso já tem mais de 30 passagens pela polícia.

 

VIOLÊNCIA: Adolescente de 15 anos é executado a tiros

02/05/2017 4:34 PM0 comentários
VIOLÊNCIA: Adolescente de 15 anos é executado a tiros

O adolescente Rômulo dos Santos Vieira, de 15 anos de idade, foi executado a tiros na rua Oeste, no bairro Piauí, em Parnaíba, litoral do estado. Segundo informações, a vítima caminhava normalmente pela rua quando foi surpreendida pelos disparos. Ele foi atingido por três tiros.

De acordo com a Perícia Criminal, ao todo foram quatro disparos efetuados. Projéteis possivelmente de revólver calibre 38 foram encontrados no local do homicídio. O crime aconteceu por volta das 9h da manhã desta terça-feira (02/05) a cerca de 500 metros da residência da vítima.

Familiares acompanhavam com bastante comoção a remoção do corpo por parte do Instituto Médico Legal. Investigadores da Delegacia de Homicídios de Parnaíba estiveram no local apurando a informação de que o alvo do assassino era um irmão do adolescente.

Minutos após o crime, uma motocicleta de cor preta foi encontrada pelo Serviço Reservado da Polícia Militar, abandonada na avenida Pinheiro Machado, próximo a sede da SEDESC de Parnaíba. A Polícia ainda não confirmou se essa moto foi utilizado pelo criminoso.

Por Kairo Amaral

Rômulo caminhava pela rua quando foi surpreendido
Rômulo foi surpreendido na rua enquanto caminhava (Crédito: Kairo Amaral)
Adolescente tinha apenas 15 anos  (Crédito: Kairo Amaral)
Adolescente tinha apenas 15 anos (Crédito: Kairo Amaral)
Rômulo caminhava pela rua quando foi surpreendido
Rômulo foi surpreendido na rua enquanto caminhava (Crédito: Kairo Amaral)
A vítima foi morta com quatro disparos
A vítima foi morta com quatro disparos (Crédito: Kairo Amaral)
Motocicleta foi encontrada abandonada

BRASIL: Funcionários dos Correios entram em greve por tempo indeterminado

26/04/2017 5:42 PM0 comentários
BRASIL: Funcionários dos Correios entram em greve por tempo indeterminado

Os trabalhadores dos Correios entrarão em greve por tempo indeterminado hoje (26) a partir das 22h. As ameaças de privatização e demissões, o fechamento de agências e o “desmonte fiscal” da empresa, com diminuição do lucro devido a repasses ao governo e patrocínios, são os principais motivos para a mobilização, segundo a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect).

A estatal afirma que teve prejuízos de R$ 2,1 bilhões em 2015 e R$ 2 bilhões no ano passado. Em dezembro do ano passado, foi anunciado um plano de demissão voluntária e o fechamento de agências para reduzir os gastos. Já a Federação alega que a receita tem crescido. “O que tem acontecido é um plano de desmonte próprio da empresa, atacando a própria qualidade e universalização do serviço.

Faz parte de um projeto privado com interesse de entrar no mercado”, disse a secretária de Imprensa da Fentect, Suzy Cristiny. Segundo a entidade, a “privatização” coloca em risco o direito da população aos serviços dos Correios, já que a empresa tem fechado agências em cidades menos lucrativas.

“Mais de 200 agências estão sendo fechadas por todo o Brasil. Com isso, muitos moradores do interior e das periferias vão ficar sem o atendimento bancário e postal dos Correios do Brasil”, informou a federação. O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, tem dito que é contra privatizar os os Correios, mas que a empresa terá que fazer “cortes radicais” de gastos para evitar a privatização, já que o governo não socorrerá a empresa financeiramente.

Críticas dos grevistas
Além do fortalecimento de franqueados e o fechamento de agências próprias, o que, na opinião da federação, “esvazia os negócios da empresa para a iniciativa privada”, a Fentect critica os repasses da empresa ao governo federal acima do valor estabelecido.

“Nos últimos anos, os Correios repassaram para o governo federal R$ 6 bilhões e, desse montante, R$ 3,9 bilhões foram acima do valor estabelecido legalmente, prejudicando as reservas financeiras e investimentos necessários para a modernização da empresa”, informou. A entidade cita ainda o distrato de R$ 2,3 bilhões do Banco Postal com o Banco do Brasil e a destinação de R$ 300 milhões em patrocínios nas Olimpíadas e pede uma auditoria na contabilidade da empresa.

Os sindicatos de todo o país se reúnem hoje (26) para referendar a manifestação sobre a greve. As entidades e a empresa já promoveram mesas de negociação, mas, segundo a secretária, não houve avanços. Ela disse ainda que os trabalhadores dos Correios se unirão às manifestações marcadas para a próxima sexta-feira (28) contra as reformas trabalhista e da Previdência.

Além da mobilização pelo fortalecimento institucional dos Correios e universalização dos serviços, os trabalhadores reivindicam melhorias nas condições de trabalho, a contratação de novos funcionários, mais segurança nas agências, o retorno da entrega diária e o fim da suspensão de férias. Outro lado Em nota, a empresa informou que, caso o movimento grevista seja deflagrado, os Correios adotarão as medidas necessárias para garantir a continuidade de todos os serviços.

“Uma paralisação dos empregados neste momento delicado pelo qual passa a empresa é um ato de irresponsabilidade, uma vez que a direção está e sempre esteve aberta ao diálogo com as representações dos trabalhadores”, informou. Os Correios não se manifestaram sobre as reivindicações dos trabalhadores.

uol.com