Investigações apontam encontro de policial e ex-vice prefeito antes de operação contra contrabando

investigação da Delegacia de Combate à Corrupção (SECCOR) aponta que o tenente-coronel Eriverton Nunes se encontrou em uma casa com o ex-vice prefeito da cidade de São Mateus, Rogério Garcia, horas antes da operação que descobriu um depósito cheio de mercadorias em São Luís que, segundo a polícia, seriam fruto de contrabando. Ambos estão presos por suspeita de participação em uma quadrilha de contrabandistas no Maranhão.

Casa onde Eriverton Nunes teria se encontrado com o ex-vice prefeito da cidade de São Mateus (Foto: Reprodução/TV Mirante)

Casa onde Eriverton Nunes teria se encontrado com o ex-vice prefeito da cidade de São Mateus (Foto: Reprodução/TV Mirante)

Na decisão do pedido de prisão preventiva do oficial da Polícia Militar, os delegados que acompanham o caso disseram à justiça que imagens das câmeras de segurança do condomínio mostraram que Eriverton Nunes e Rogério Sousa Garcia tiveram uma conversa antes da primeira fase da operação e que durou cerca de uma hora.

Além de Eriverton Nunes e Rogério Sousa, estão presos o ex-superintendente de investigações criminais da Polícia Civil, delegado Thiago Bardal e o major Luciano Rangel, que era subcomandante do 21º batalhão de Polícia Militar. Até agora 16 pessoas estão presas por suspeita de contrabandear bebidas e cigarros. 

Tenente-coronel Antônio Eriverton Nunes Araújo (de azul) desembarcou na tarde desta quarta-feira (7), em São Luís, após ser preso no Pará. (Foto: Mauro Wagner/SSP)

Tenente-coronel Antônio Eriverton Nunes Araújo (de azul) desembarcou na tarde desta quarta-feira (7), em São Luís, após ser preso no Pará. (Foto: Mauro Wagner/SSP)

Thiago Bardal era comandante de investigações criminais no Maranhão (Foto: Reprodução/TV Mirante)

Thiago Bardal era comandante de investigações criminais no Maranhão (Foto: Reprodução/TV Mirante)

Outro oficial responsável pela segurança das cargas seria o coronel Reinaldo Elias Francalanci, que foi preso no dia 3 de março. Segundo a Delegacia de Combate à Corrupção, o caminhão encontrado no fim de fevereiro, na zona rural de São Luís, havia sido abordado por militares que investigavam o desvio de cargas, mas na hora da abordagem o motorista ligou para o coronel Francalanci, que determinou a liberação da carga.

A Polícia Civil diz também que, além da região metropolitana de São Luís, a quadrilha agia nas cidades de Icatu, São Mateus, Miranda do Norte e Bacabal.

G1 MARANHÃO

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: